Ministério da Justiça pede dados à França sobre Swissleaks

Objetivo do ministro Eduardo Cardozo e do Procurador-Geral da República (PGR), Rodrigo Janot, que também participa da investigação, é verificar se 8.667 brasileiros declararam à Receita Federal e ao Banco Central os valores remetidos às contas numeradas no HSBC da Suíça em 2006 e 2007; governo francês já compartilhou os dados com outros países; caso também é investigado pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do HSBC no Senado

Objetivo do ministro Eduardo Cardozo e do Procurador-Geral da República (PGR), Rodrigo Janot, que também participa da investigação, é verificar se 8.667 brasileiros declararam à Receita Federal e ao Banco Central os valores remetidos às contas numeradas no HSBC da Suíça em 2006 e 2007; governo francês já compartilhou os dados com outros países; caso também é investigado pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do HSBC no Senado
Objetivo do ministro Eduardo Cardozo e do Procurador-Geral da República (PGR), Rodrigo Janot, que também participa da investigação, é verificar se 8.667 brasileiros declararam à Receita Federal e ao Banco Central os valores remetidos às contas numeradas no HSBC da Suíça em 2006 e 2007; governo francês já compartilhou os dados com outros países; caso também é investigado pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do HSBC no Senado (Foto: Roberta Namour)

André Richter - Repórter da Agência Brasil

O Ministério da Justiça pediu ao governo da França acesso aos dados de correntistas brasileiros que abriram contas no banco HSBC da Suíça. A informação foi confirmada pela Procuradoria-Geral da República (PGR), que também aguarda os dados para dar prosseguimento às investigações do caso SwissLeaks no Brasil. O governo francês já compartilhou os dados com outros países.

O objetivo da PGR e da Polícia Federal, que também participa da investigação, é verificar se 8.667 brasileiros declararam à Receita Federal e ao Banco Central os valores remetidos às contas numeradas no HSBC da Suíça em 2006 e 2007.

A investigação jornalística sobre o caso, conhecida como SwissLeaks, é comandada pelo ICIJ, sigla em inglês para Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos. As investigações dão conta, até o momento, de que houve sonegação e evasão fiscal por parte do banco e de alguns correntistas.

O caso também é investigado pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do HSBC no Senado. A comissão tem 11 membros e tem 180 dias para concluir os trabalhos.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247