Ministro citado em escândalo reassume a pasta do Turismo

O deputado federal Marcelo Álvaro Antônio (PSL-MG) retoma o comando do Ministério do Turismo; ele foi exonerado temporariamente para cumprir a formalidade de posse na Câmara; ministro teria patrocinado um esquema de candidaturas laranjas no estado que direcionou verbas públicas de campanha para empresas ligadas ao seu gabinete na Câmara

Ministro citado em escândalo reassume a pasta do Turismo
Ministro citado em escândalo reassume a pasta do Turismo (Foto: Valter Campanato - ABR)

247, com Agência Brasil - O deputado federal Marcelo Álvaro Antônio (PSL-MG) retoma nesta quinta-feira (7) o comando do Ministério do Turismo. A nomeação foi publicada no Diário Oficial da União desta quinta-feira (7), um dia depois de ser exonerado temporariamente para cumprir a formalidade de posse na Câmara dos Deputados.

De acordo com reportagem do jornal Folha de S.Paulo, o ministro patrocinou um esquema de candidaturas laranjas no estado que direcionou verbas públicas de campanha para empresas ligadas ao seu gabinete na Câmara - ele foi o deputado federal mais votado em Minas na eleição de outubro. 

A matéria também destaca: "Após indicação do PSL de Minas, presidido à época pelo próprio Álvaro Antônio, o comando nacional do partido do presidente Jair Bolsonarorepassou R$ 279 mil a quatro candidatas. O valor representa o percentual mínimo exigido pela Justiça Eleitoral (30%) para destinação do fundo eleitoral a mulheres candidatas".

Marcelo Antônio foi o deputado federal mais votado do estado e escolhido para compor o primeiro escalão do governo Jair Bolsonaro no dia 28 de novembro. Por protocolo, mesmo já no comando da pasta, ele deveria tomar posse na retomada dos trabalhos legislativos no último dia 1º, mas estava hospitalizado devido uma cirurgia, de acordo com a Casa Civil.

A licença temporária do cargo de ministro durou 24 horas apenas para que assumisse a vaga de deputado.

Em nota, o Ministério do Turismo já havia informado que Marcelo Álvaro retornaria hoje ao comando da pasta.

Onyx

Na mesma edição do Diário Oficial, foi publicada a exoneração do ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, motivada por razões semelhantes às de Marcelo Álvaro Antônio. Apesar de ter tomado posse como deputado no dia 1º, seguindo o protocolo, Onyx não teve tempo, segundo assessores, para desarquivar projetos de sua autoria.

Como a nova legislatura começa após uma eleição e reeleição de parlamentares, propostas que tramitavam anteriormente acabam sendo engavetadas. Para que voltem a tramitar no Congresso, o político reeleito precisa usar a assinatura digital como parlamentar para desarquivar os textos.

Assessores de Onyx Lorenzoni afirmaram que são mais de 100 propostas que terão o andamento retomado. Segundo eles, até amanhã o ministro retorna ao cargo e reassume as atividades da Casa Civil.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247