Ministros do STF avaliam que Fux queria distância de Bolsonaro

Ministros do STF avaliam que Luiz Fux, novo presidente da Suprema Corte, queria manter distância de Jair Bolsonaro, que justifica com isto não o ter procurado para conversar sobre a indicação de Kassio Marques para substituir o decano Celso de Mello que se aposenta no próximo dia 13

Sessão solene de posse do ministro Luiz Fux na Presidência do STF (10/09/2020)
Sessão solene de posse do ministro Luiz Fux na Presidência do STF (10/09/2020) (Foto: Fellipe Sampaio /SCO/STF)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O presidente do STF, ministro Luiz Fux, se recusou a encontrar Jair Bolsonaro reservadamente em Brasília no ano passado. Isto levou o presidente da República a interpretar que o novo chefe da Corte Suprema queria distância dele, por isso não o procurou para conversar sobre a indicação do desembargador Kassio Marques para compor o Supremo no lugar do decano Celso de Mello que se aposenta no próximo dia 13.

Magistrados do STF (Supremo Tribunal Federal) creditam ao próprio presidente da corte, Luiz Fux, a falta de deferência de Jair Bolsonaro, que não comunicou a ele com antecedência que indicaria o desembargador Kassio Marques para integrar o tribunal. E fez mais: um dia antes, levou o escolhido para um encontro com Gilmar Mendes e Dias Toffoli.

No ano passado, Bolsonaro convidou Fux para um encontro reservado em Brasília —ele já chamou outros ministros para conversar, em cafés, almoços ou jantares. O magistrado declinou, informa a jornalista Mônica Bergamo em sua coluna na Folha de S.Paulo.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247