Miriam Leitão: com a chave do cofre, Guedes não pode assumir articulação política

Para a jornalista Miriam Leitão, apesar do ministro da Economia, Paulo Guedes, e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, se entenderem "a ideia de que o Guedes possa ser o articulador da reforma da Previdência no Congresso é outro equívoco", já que"quem comanda a Economia tem a chave do cofre"; "Se é ele que vai articular as forças políticas do parlamento, evidentemente os pedidos ficarão mais caros", diz Na linha de frente tem que estar um ministro político", avalia

Miriam Leitão: com a chave do cofre, Guedes não pode assumir articulação política
Miriam Leitão: com a chave do cofre, Guedes não pode assumir articulação política (Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Para a jornalista Miriam Leitão, apesar do ministro da Economia, Paulo Guedes, e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, se entenderem "a ideia de que o Guedes possa ser o articulador da reforma da Previdência no Congresso é outro equívoco. Ele terá que estar sempre presente, mas não pode desempenhar esse papel. Quem comanda a Economia tem a chave do cofre", destaca em sua coluna no jornal O Globo.

"Na sua área está o Tesouro Nacional. Se é ele que vai articular as forças políticas do parlamento, evidentemente os pedidos ficarão mais caros. Não falo de pedido indevido, mas das normais reivindicações financeiras e fiscais para estados e regiões. Na linha de frente tem que estar um ministro político", avalia.

"Por temperamento, estilo, e pela natureza do cargo ele não pode ser o encarregado de coordenar as articulações políticas para a aprovação da reforma. Para isso existem os ministros políticos. E, como já disse aqui, o presidente tem um papel incontornável no trabalho de união da base. Bolsonaro, além de fugir desse papel, faz o avesso do que deveria como demonstrou insistentemente nos últimos dias", ressalta a jornalista.

Leia a íntegra da coluna.

 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247