Moraes notifica Bolsonaro para explicar acusação que vinculou ONGs a queimadas na Amazônia

Ministro do STF Alexandre Moraes determinou que Jair Bolsonaro seja notificado para prestar esclarecimentos acerca das acusações feitas por ele de que ONGs seriam as responsáveis pelas queimadas na Amazônia

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre Moraes determinou que Jair Bolsonaro seja notificado para prestar esclarecimentos acerca das declarações em que ele acusou que  organizações não governamentais (ONGs) seriam responsáveis pelas queimadas na Amazônia. O pedido de explicação foi feito pela ONG Terra Azul e tem o ministro como relator. 

Em agosto, em meio à crise internacional gerada pelos incêndios na Amazônia, Bolsonaro afirmou que as ONGs poderiam estar por trás das queimadas como uma forma de “chamar a atenção” contra o seu governo, além de ser uma retaliação pelo fato de ter cortado o repasse de recursos para estas entidades. 

"O crime existe, e isso aí nós temos que fazer o possível para que esse crime não aumente, mas nós tiramos dinheiros de ONGs. Dos repasses de fora, 40% ia para ONGs. Não tem mais. Acabamos também com o repasse de dinheiro público. De forma que esse pessoal está sentindo a falta do dinheiro", disse Bolsonaro durante uma entrevista.  presidente na ocasião.

"Então, pode estar havendo, sim, pode, não estou afirmando, ação criminosa desses 'ongueiros' para chamar a atenção contra a minha pessoa, contra o governo do Brasil. Essa é a guerra que nós enfrentamos", emendou em seguida. 

complementou.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247