Moro adia interrogatório de Lula no processo do sítio de Atibaia

Alegando que é preciso "evitar a exploração eleitoral dos interrogatórios", Sérgio Moro adiou o interrogatório do ex-presidente e demais réus da ação penal envolvendo o Sito de Atibaia; estava marcado para 11 de setembro, mas ficou agendado para 14 de novembro

Moro adia interrogatório de Lula no processo do sítio de Atibaia
Moro adia interrogatório de Lula no processo do sítio de Atibaia (Foto: Esq.: Pedro de Oliveir - Alep / Dir.: embaixo (Ueslei Marcelino - Reuters))
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Alegando que é preciso "evitar a exploração eleitoral dos interrogatórios", Sérgio Moro adiou nesta quarta-feira (15) o interrogatório do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e demais réus da ação penal envolvendo o Sito de Atibaia. O interrogatório do ex-presidente estava marcado para 11 de setembro. Agora, ficou agendado para 14 de novembro, às 14h. 

Referindo-se ao ex-presidente Lula, Moro disse que um dos acusados foi condenado por corrupção e lavagem de dinheiro e, "apesar disso, apresenta-se como candidato à Presidencia da República". "A fim de evitar a exploração eleitoral dos interrogatórios, seja qual for a perspectiva, reputo oportuno redesignar as audiências", afirmou Moro.

De acordo com a acusação do Ministério Público Federal (MPF), Lula recebeu propina proveniente de seis contratos firmados entre a Petrobras e a Odebrecht e a OAS. Os valores foram repassados ao ex-presidente em reformas realizadas no sítio, dizem os procuradores. Lula nega as acusações e diz não ser o dono do imóvel.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247