Moro, defensor do encarceramento, elogia 'investimentos em segurança' do governo Bolsonaro

Ministro foi ao Twitter no primeiro dia do ano para elogiar abertura de concurso para agente penitenciário federal, "cargo estratégico" para isolar lideranças criminosas. "Reduzir a impunidade, prendendo e neutralizando criminosos perigosos, reduz os crimes. Óbvio assim", diz ele

O ministro da Justiça  Sergio Moro
O ministro da Justiça Sergio Moro (Foto: Jose Cruz/Agencia Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, se manifestou no Twitter neste 1 de janeiro de 2020 para elogiar "investimentos em segurança" feitos pelo governo de Jair Bolsonaro, com a abertura de um concurso público para agente penitenciário federal, "cargo estratégico" para isolar lideranças criminosas, segundo ele.

Moro é conhecido defensor de políticas de encarceramento, medida insuficiente para garantir a segurança pública, no entendimento de muitos especialistas na área. Uma das medidas mais conhecidas no âmbito do punitivismo defendidas pelo ex-juiz federal é a prisão de condenados após segunda instância. Além disso, seu pacote anticrime foi emblemático em retirar direitos de réus e investigados.

Na rede social, ele ressaltou que "isolar líderes criminosos e retomar o controle de presídios estaduais têm contribuído para a queda dos índices criminais". "Reduzir a impunidade, prendendo e neutralizando criminosos perigosos, reduz os crimes.Óbvio assim", ressaltou, agradecendo em seguida ao ministro da Economia, Paulo Guedes, "pelo apoio no investimento estratégico" na área comandada por ele.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247