Moro extrapolou funções ao quebrar sigilo de investigação da PF e pode ser demitido

O ministro Sergio Moro, se isola cada vez mais em decorrência das arbitrariedades que vem cometendo; aumentou a pressão de parte do STF (Supremo Tribunal Tederal) e do Congresso para que se dê uma resposta à atuação de Moro na chamada operação Spoofing; na opinião de políticos e magistrados sua permanência no governo Bolsonaro ficou insustentável

(Foto: Lula Marques)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ministro da Justiça e Segurança Pública do governo Bolsonaro, Sergio Moro, se isola cada vez mais em decorrência das arbitrariedades que vem cometendo.  

Aumentou a pressão de parte do STF (Supremo Tribunal Tederal) e do Congresso para que se dê uma resposta à atuação de Moro na chamada operação Spoofing, que prendeu quatro supostos hackers nesta semana.   Ministros do Supremo e parlamentares da cúpula da Câmara e do Senado avaliam que o ministro de Bolsonaro extrapolou os limites de sua competência como ministro de Estado ao indicar que teve acesso a dados de uma investigação sigilosa da Polícia Federal. 

Na opinião de políticos e magistrados sua permanência no governo Bolsonaro ficou insustentável e defendem que ele se afaste do cargo até a conclusão das investigações. 

As informações estão no site Daqui e Dali. É provável que Moro seja convocado e dar explicações ao Congresso, onde já se discute também sobre a criação de uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para investigar a atuação do ex-juiz.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247