Moro gastará R$ 444 milhões na compra de mais de 100 mil pistolas

O Ministério da Justiça e Segurança Pública, comandado por Sergio Moro, prepara uma licitação inédita para compra de 106 mil pistolas que serão distribuídas para a Força Nacional e a policiais civis e militares dos estados; será a primeira vez que a pasta faz uma licitação aberta a empresas estrangeiras; o custo é estimado em R$ 444 milhões

Moro gastará R$ 444 milhões na compra de mais de 100 mil pistolas
Moro gastará R$ 444 milhões na compra de mais de 100 mil pistolas
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O Ministério da Justiça e Segurança Pública, comandado por Sergio Moro, prepara uma licitação inédita para compra de 106 mil pistolas que serão distribuídas para a Força Nacional e a policiais civis e militares dos estados. Será a primeira vez que a pasta faz uma licitação aberta a empresas estrangeiras. O custo é estimado em R$ 444 milhões. O governo deve bancar uma parte e o outro montante terá de ser adquirido diretamente pelas secretarias de Segurança Pública dos estados.  A licitação não tem relação direta com o decreto de armas editado pelo presidente Jair Bolsonaro, mas foi facilitada pela medida, que abriu o mercado para importação.

De acordo com reportagem de Aguirre Talento e Renata Mariz, publicada no jornal O Globo, o objeto da licitação descreve o produto a ser adquirido da seguinte forma: “pistolas de calibre 9x19mm com quatro carregadores e uma maleta”.

Serão cinco lotes divididos por região, na seguinte quantidade: 34.965 para o Centro-Oeste, 29.117 para o Nordeste, 22.480 para o Sul, 15.414 para o Norte e 4.560 para a região Sudeste. 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247