Moro volta a atacar defesa de Lula: Zanin tinha 'atitude beligerante'

Para justificar que não mantinha o mesmo contato que tinha com os procuradores da Lava Jato, nas coversas vazadas pelo The Intercept, o ministro Sergio Moro disse que a defesa do ex-presidente Lula adotou "atitude beligerante"

247 - Na sessão da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), o ministro Sergio Moro, ex-juiz, continua a se esquivar das perguntas feitas pelos parlamentares sobre os vazamentos das conversas dele com os procuradores da Lava Jato divulgados pelo The Intercept.

Questionado sobre se tem alguma conversa como as que teve com os procuradores com um advogados de defesa ou se instruiu alguma testemunha para um advogado de um réu, Moro desconversou e voltou a atacar a defesa do ex-presidente Lula, afirmando que não manteve contatos mais próximos com Cristiano Zanin por causa da “atitude beligerante” dele nas audiências.

“Adotava postura ofensiva, beirando as ofensas em praticamente todas as audiências. Em uma audiência quis contraditar um acusado. Falei com ele que era medida destinada a testemunha. Ele recuou. Isso é quebra de imparcialidade?”, justificou Moro, sem apontar se tinha contato com outros advogados por meio de mensagens.

O deputado Alessandro Molon (PSB-RJ) questionou: "algum desses diálogos é negado peremptoriamente por Vossa Excelência?".

Moro voltou a afirmar que não tem mais as mensagens. "Algo pode ser autêntico", afirmou, sem citar qual dos conteúdos vazados seria considerados por ele autêntico.


Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247