Morte de delator faz Aécio ir ao topo do Twitter: "tem que ser alguém que a gente mata antes"

Além de Aécio, outro que reapareceu entre os assuntos mais comentados da rede social foi o jornalista Diogo Mainardi, de O Antagonista, também citado na delação do ex-vice-presidente da Odebrecht, Henrique Valladares, que foi encontrado morto em sua residência nesta terça-feira. Parlamentar, um dos principais articuladores do golpe de 2016, subiu ao topo dos TTs devido à frase “tem que ser alguém que a gente mata antes de fazer a delação”, que foi gravada durante um acerto de pagamento de propinas

Aécio Neves
Aécio Neves (Foto: Lula Marques/Agência PT)

247 - O deputado federal Aécio Neves (PSDB-MG), um dos principias articuladores do golpe de 2016, virou um dos assuntos mais comentados do Twitter por causa da frase “tem que ser alguém que a gente mata antes de fazer a delação”. O assunto chegou ao topo dos trend topics da rede social após o ex-vice-presidente da Odebrecht, Henrique Valladares, ter sido encontrado morto em sua residência, no Rio de Janeiro, nesta terça-feira (17).

Em sua delação premiada, Valladares acusou o parlamentar de receber R$ 50 milhões em propinas repassadas pessoalmente por ele. Valladares também relatou ter pago propinas para o jornalista Diogo Mainardi, do site O Antagonista – que funciona ocmo uma espécie de porta-voz da Lava Jato, ao ex-ministro Edison Lobão. O dono da rede de academias BodyTech, Alexandre Accioly, também teve o seu nome delatado pelo ex-executivo da Odebrecht. 

O comentário de Aécio sobre a morte de possíveis delatores foi gravado durante uma conversa com o empresário Joesley Batista, do grupo J&F, patra acertar o repasse de propinas. “Se for você pegar em mãos, vou eu mesmo entregar. Mas, se você mandar alguém de sua confiança, mando alguém da minha confiança", diz Joesley na gravação datada de 24 de março de 2017. "Tem que ser um que a gente mata ele antes de fazer delação", responde Aécio em seguida. 

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247