Mourão confronta STF e defende liberdade de expressão

O vice-presidente Hamilton Mourão criticou nesta segunda-feira, 15, a decisão do ministro Alexandre de Moraes, do STF, que censurou reportagem da revista Crusoé que relaciona o presidente do Supremo, Dias Toffoli, a suposto pagamento de propina pela Odebrecht; "Não tenho dúvida de que é censura, mas vai além da censura", afirmou; para o vice-presidente, ao se sentir atingido, Toffoli deveria acionar o Ministério Público; "O camarada está sendo tudo, é julgador e investigador"

Mourão confronta STF e defende liberdade de expressão
Mourão confronta STF e defende liberdade de expressão

247 - "Não tenho dúvida de que é censura, mas vai além da censura", afirmou o vice-presidente da República, general Hamilton Mourão, sobre a decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal Alexandre de Moraes de censurar a Revista Crusoé por causa de uma reportagem que trazia um codinome “O amigo do amigo de meu pai” usado pela Odebrecht para se referir ao presidente da Corte, Dias Toffoli. O site O Antagonista, que ouviu o vice, também foi censurado - faz parte do mesmo grupo editorial da revista.

"No momento em que (a decisão), além de interditar a publicação, convoca os jornalistas a depor na Polícia Federal. (Significa que) Já estão respondendo a inquérito", acrescentou Mourão. De acordo com o militar, ao se sentir atingido, Toffoli deveria acionar o Ministério Público. "O camarada está sendo tudo, é julgador e investigador.”

Ao vivo na TV 247 Youtube 247