Mourão é denunciado em Corte Interamericana por insulto a vítimas da ditadura

O general Hamilton Mourão, vice-presidente da República, foi incluído em ação que denuncia o governo de extrema direita de Jair Bolsonaro na Corte Interamericana de Direitos Humanos

General Hamilton Mourão, vice-presidente da República
General Hamilton Mourão, vice-presidente da República (Foto: Valter Campanato/Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A Corte Interamericana de Direitos Humanos incluiu o nome do general Hamilton Mourão, vice-presidente da República, em ação contra o governo Bolsonaro. O órgão acatou ação inicial do PSOL em maio deste ano. 

A bancada do partido na Câmara dos Deputados incluiu o nome do vice-presidente Hamilton Mourão na ação. O partido afirma que não está sendo cumprida a sentença que condenou o país por violações de direitos no caso da Guerrilha do Araguaia, informa a jornalista Mônica Bergamo em sua coluna na Folha de S.Paulo.

Em adendo à ação acatada em maio, o PSOL encaminhou na última sexta-feira (9), a fala do general Mourão na qual, em entrevista à DW, afirma que o torturador e coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra era “um homem que respeitava os direitos humanos de seus subordinados”.

Para os parlamentares do PSOL, o revisionismo dos crimes do período militar pelo governo Bolsonaro insulta “a memória das vítimas do caso Gomes Lund e outros e de todas as pessoas desaparecidas, mortas e torturadas pela ditadura brasileira”.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247