Movimentos pela Memória e Justiça declaram repulsa a Bolsonaro

Entidades ligadas ao movimento pela Memória, verdade e justiça rechaçaram os últimos ataques de Bolsonaro à memória de Fernando Santa Cruz, militante da resistência à ditadura militar, desaparecido após ser preso por agentes da repressão em fevereiro de 1974

(Rio de Janeiro - RJ, 27/07/2019) Palavras do Presidente da República, Jair Bolsonaro.\rFoto: Marcos Corrêa/PR
(Rio de Janeiro - RJ, 27/07/2019) Palavras do Presidente da República, Jair Bolsonaro.\rFoto: Marcos Corrêa/PR

247 - Entidades ligadas ao movimento pela Memória, verdade  e justiça rechaçaram as últimas declarações agressivas de Jair Bolsonaro que ferem os direitos humanos. 

Veja a nota: 

 A Rede Brasil Memória, Verdade e Justiça, através das entidades signatárias, vem a público repudiar veementemente o ataque perpetrado pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, à memória de Fernando Santa Cruz, militante da resistência à ditadura militar, desaparecido após ser preso por agentes da repressão em fevereiro de 1974. 

A declaração desprezível aconteceu no dia de hoje, quando, numa coletiva de imprensa, o presidente da República, com o intuito de atingir o presidente da OAB, Felipe Santa Cruz, foi mais uma vez torpe e repulsivo.  Bolsonaro declarou para a imprensa que tem informação sobre o que aconteceu com Fernando.

  "Um dia, se o presidente da OAB quiser saber como é que o pai dele desapareceu no período militar, conto pra ele" (Folha de São Paulo, 29.07.2019) Como outros brasileiros, Fernando Santa Cruz foi capturado e torturado até a morte; seu corpo, assim como de várias outras pessoas, entre homens e mulheres, nunca mais foi encontrado. 

É repugnante a declaração de Bolsonaro, que tripudia com uma situação dolorosa na vida de um filho que perdeu o pai durante a ditadura.  

A mãe de Fernando Santa Cruz, dona Elzita, morreu sem saber o que acontecera com o seu filho. Ela viveu 105 anos, e desde o desaparecimento dele peregrinou em busca de uma informação. 

                29 de julho de 2019 

Assinam a nota: 

CENTRO DE DIREITOS HUMANOS E MEMÓRIA POPULAR DE FOZ DO IGUAÇU -PR FÓRUM MEMÓRIA VERDADE E JUSTIÇA DO ES 

Comissão de Familiares de Mortos e Desaparecidos Políticos Grupo Tortura Nunca Mais de São Paulo          Grupo Tortura Nunca Mais de Foz do Iguaçu - PR Comitê Popular de Santo Memória Verdade e Justiça Comissão dos Direitos Humanos e Liberdade de Imprensa do Sindicato de Jornalistas Profissionais no Estado de Goiás. COMITÊ CARLOS DE RÉ DA VERDADE E JUSTIÇA DO RIO GRANDE DO SUL COLETIVO CATARINENSE MEMORIA, VERDADE E JUSTIÇA COLETIVO RJ MEMORIA VERDADE JUSTIÇA. -FORUM DE REPARACAO E MEMÓRIA DO RIO DE JANEIRO. -UMNA - UNIÃO DE MOBILIZACAO NACIONAL PELA ANISTIA. Equipe Clínico Política do RJ Centro de Direitos Humanos e Memória Popular de Foz do Iguaçu - PR Coletivo Graúna de Justiça de Transição. Grupo de Pesquisa Direito à Verdade e à Memória e Justiça de Transição da PUCRS SERVIÇO DE PAZ E JUSTIÇA - SERPAJ BRASIL Coletivo Transforma MP  Psicanalistas Unidos pela Democracia Comitê Memória, Verdade e Justica - CE

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247