MP pressiona TCU pela quebra de empreiteiras

Comitiva coordenada pelo procurador Deltan Dallagnol levou ao presidente do TCU, ministro Aroldo Cedraz, pedido para impedir a Controladoria-Geral da União (CGU) de fechar acordos de leniência com empreiteiras envolvidas na Lava Jato; o Ministério Público Federal avalia que essa medida livraria as empresas da punição pelos crimes cometidos em troca de informações que teriam pouco valor para as investigações, já que os executivos poderiam usar revelações já obtidas pela Procuradoria, que mantém caso em sigilo

Comitiva coordenada pelo procurador Deltan Dallagnol levou ao presidente do TCU, ministro Aroldo Cedraz, pedido para impedir a Controladoria-Geral da União (CGU) de fechar acordos de leniência com empreiteiras envolvidas na Lava Jato; o Ministério Público Federal avalia que essa medida livraria as empresas da punição pelos crimes cometidos em troca de informações que teriam pouco valor para as investigações, já que os executivos poderiam usar revelações já obtidas pela Procuradoria, que mantém caso em sigilo
Comitiva coordenada pelo procurador Deltan Dallagnol levou ao presidente do TCU, ministro Aroldo Cedraz, pedido para impedir a Controladoria-Geral da União (CGU) de fechar acordos de leniência com empreiteiras envolvidas na Lava Jato; o Ministério Público Federal avalia que essa medida livraria as empresas da punição pelos crimes cometidos em troca de informações que teriam pouco valor para as investigações, já que os executivos poderiam usar revelações já obtidas pela Procuradoria, que mantém caso em sigilo (Foto: Roberta Namour)
Siga o Brasil 247 no Google News

247 – Uma comitiva de procuradores da República levou ao Tribunal de Contas da União (TCU) um pedido para impedir a Controladoria-Geral da União (CGU) de fechar acordos de leniência com empreiteiras envolvidas na Lava Jato.

O Ministério Público Federal avalia que essa medida livraria as empresas da punição pelos crimes cometidos em troca de informações que teriam pouco valor para as investigações, já que os executivos poderiam usar revelações já obtidas pela Procuradoria, que mantém caso em sigilo.

O coordenador da força-tarefa, Deltan Dallagnol, e os procuradores Athayde Costa e Paulo Roberto Galvão foram recebidos pelo presidente do TCU, ministro Aroldo Cedraz, e por outros integrantes do tribunal.

PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email