MP quer criminalizar doações legais ao PT

Procuradoria inclui secretário nacional de Finanças do PT, João Vaccari Neto, no inquérito sobre formação de quadrilha; para o procurador-geral, Rodrigo Janot, conexões do tesoureiro podem levar a outros petistas favorecidos por desvios na estatal

Procuradoria inclui secretário nacional de Finanças do PT, João Vaccari Neto, no inquérito sobre formação de quadrilha; para o procurador-geral, Rodrigo Janot, conexões do tesoureiro podem levar a outros petistas favorecidos por desvios na estatal
Procuradoria inclui secretário nacional de Finanças do PT, João Vaccari Neto, no inquérito sobre formação de quadrilha; para o procurador-geral, Rodrigo Janot, conexões do tesoureiro podem levar a outros petistas favorecidos por desvios na estatal (Foto: Roberta Namour)

247 - O secretário nacional de Finanças do PT, João Vaccari Neto, foi incluído no inquérito sobre formação de quadrilha. Para o Ministério Público, investigação visa provar que doações legais ao partido podem ter origem no esquema de desvios de recursos da Petrobras.

Pela lista de Rodrigo Janot, no crime de formação de quadrilha, que conta com 31 parlamentares e ex-parlamentares do PP, e com quatro senadores da cúpula do PMDB no Senado, entre eles o presidente da Casa, Renan Calheiros (AL), não há deputados, senadores ou ex-parlamentares do PT.

Nos depoimentos do doleiro Alberto Youssef e do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, Vaccari é citado como um dos operadores do esquema. Para Janot, o tesoureiro pode levar a outros petistas favorecidos por desvios na estatal.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247