MPF dá dez dias para Damares explicar destinação do Memorial da Anistia

O MPF lembra que a construção do memorial é um compromisso assumido internacionalmente pelo Brasil, sendo uma das principais medidas tomadas pelo estado para “enfrentar o legado de graves violações de direitos humanos perpetradas durante o regime militar no país”

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O Ministério Público Federal (MPF) deu um prazo de dez dias para que a ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, explique a afirmação de que governo pretende mudar a destinação do prédio escolhido para abrigar o Memorial da Anistia Política do Brasil , em Belo Horizonte.

Na semana passada, Damares publicou um vídeo nas redes sociais em que disse que “não há dinheiro” para continuar a obra e que precisaria encontrar outra destinação para o imóvel.

O MPF lembra que a construção do memorial é um compromisso assumido internacionalmente pelo país, sendo uma das principais medidas tomadas pelo estado para “enfrentar o legado de graves violações de direitos humanos perpetradas durante o regime militar no país”.

Desde o golpe de 2016, as obras do memorial foram interrompidas após o corte de verbas. De acordo com a UFMG, a construção já recebeu investimentos de R$12 milhões e atendeu o cronograma de execução do Ministério da Justiça.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247