MPF diz que coronel Lima ajudava na arrecadação de propina a Temer

Ministério Público Federal afirma em documento sobre a denúncia por formação de quadrilha contra os operadores de Michel Temer que o coronel aposentado da Polícia Militar João Batista Lima Filho tinha como participação a função de ajudar políticos, em especial Michel Temer, na arrecadação de propina; o documento foi entregue pelo MPF à Justiça Federal de Brasília e foi aceito nesta segunda-feira 9, tornando o coronel Lima e o advogado José Yunes réus

Ministério Público Federal afirma em documento sobre a denúncia por formação de quadrilha contra os operadores de Michel Temer que o coronel aposentado da Polícia Militar João Batista Lima Filho tinha como participação a função de ajudar políticos, em especial Michel Temer, na arrecadação de propina; o documento foi entregue pelo MPF à Justiça Federal de Brasília e foi aceito nesta segunda-feira 9, tornando o coronel Lima e o advogado José Yunes réus
Ministério Público Federal afirma em documento sobre a denúncia por formação de quadrilha contra os operadores de Michel Temer que o coronel aposentado da Polícia Militar João Batista Lima Filho tinha como participação a função de ajudar políticos, em especial Michel Temer, na arrecadação de propina; o documento foi entregue pelo MPF à Justiça Federal de Brasília e foi aceito nesta segunda-feira 9, tornando o coronel Lima e o advogado José Yunes réus (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Ministério Público Federal afirma em documento sobre a denúncia por formação de quadrilha contra os operadores de Michel Temer que o coronel aposentado da Polícia Militar João Batista Lima Filho tinha como participação a função de ajudar políticos, em especial Michel Temer, na arrecadação de propina. 

O documento foi entregue pelo MPF à Justiça Federal de Brasília e foi aceito nesta segunda-feira 9, tornando o coronel Lima e o advogado José Yunes réus. A jornalista Andréia Sadi teve acesso ao documento e publicou as informações em seu blog no G1. Os dois também são amigos próximos de Temer.

"Seu papel na organização criminosa era o de auxiliar os demais integrantes do núcleo político na arrecadação da propina, em especial seu líder, Michel Temer, conforme já narrado na peça acusatória", diz o MPF no documento.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247