PGR diz que ‘jamais cogitou’ pedir busca e apreensão no escritório de Rosângela Moro

A notícia de que a Procuradoria-Geral da República (PGR) estaria atrás de Rosângela, mulher de Sergio Moro, foi divulgada pela revista Veja nesta sexta-feira

Sérgio Moro ao lado de sua esposa, Rosangela Moro
Sérgio Moro ao lado de sua esposa, Rosangela Moro (Foto: Reprodução/Instagram)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O Ministério Público Federal (MPF) divulgou nota negando a informação de que houveram pedidos de busca e apreensão no escritório de advocacia de Rosângela Moro, mulher do ex-ministro da Justiça Sérgio Moro. A nota afirma que o procurador-geral da República (PGR), Augusto Aras, ‘jamais cogitou’ a medida “uma vez que não há razão a sustentar”.

Nesta sexta-feira, 17, a revista Veja divulgou a notícia de que “o órgão — comandado por Augusto Aras, indicado ao cargo por Bolsonaro — estaria planejando até mesmo uma busca e apreensão no escritório da advogada Rosângela Moro, esposa do ex-­ministro, a fim de desgastar o casal diante da opinião pública. Foi por isso, acrescentam os procuradores de Curitiba, que a PGR teria retomado as negociações para um acordo de delação premiada com o operador financeiro Rodrigo Tacla Duran”. 

Tacla Duran é investigado pela Lava Jato e afirmou ter pago o advogado Carlos Zucolotto, ex-sócio de Rosângela e amigo da família, para conseguir vantagens em uma delação premiada, com uma possível redução no valor da multa delatória. Ele está foragido no desde 2016, quando foi alvo de um mandado de prisão emitido por Moro.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247