MPF investiga Edir Macedo por vídeo em que afirmava que o coronavírus era inofensivo

Apoiador de Jair Bolsonaro e fundador da Igreja Universal do Reino de Deus, Edir Macedo é investigado pela suspeita de infração de medida sanitária preventiva. Em março, o bispo divulgou um vídeo em que afirmava que o novo coronavírus era “inofensivo"

Bispo da Igreja Universal se diz curado da Covid.
Bispo da Igreja Universal se diz curado da Covid. (Foto: Alan Santos/Presidência da República/Divulgação)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O Ministério Púbico Federal de São Paulo abriu uma investigação contra o bispo bolsonarista Edir Macedo, fundador da Igreja Universal do Reino de Deus, pela suspeita de infração de medida sanitária preventiva. No dia 15 de março, Macedo divulgou um vídeo nas redes sociais em que afirmava que o novo coronavírus era “inofensivo”. Neste sábado (8), o Brasil ultrapassou a marca dos 100 mil mortos pela Covid-19. 

Segundo reportagem da revista Veja, o MPF pediu a quebra de sigilo do perfil do bispo no Facebook e do seu canal no Youtube para verificar as circunstâncias em que as declarações foram feitas. O material foi deletado pouco depois de ser veiculado devido à repercussão. 

“Meu amigo e minha amiga, não se preocupe com o coronavírus. Porque essa é a tática, ou mais uma tática, de Satanás. Satanás trabalha com o medo, o pavor”, dizia Edir Macedo no vídeo. Ele também exibiu o depoimento de um médico que afirmava que o vírus “não faz mal a ninguém”. Em junho, o bispo também admitiu que foi contaminado pela Covid-19.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247