MPF oferece duas novas denúncias contra Temer no âmbito da Operação Greenfield

MPF apresentou mais duas ações na esfera criminal contra o ex-presidente Michel Temer no âmbito da Operação Greenfield, em função do episódio gravado pelo empresário Joesley Batista, do grupo J&F, no Palácio do Jaburu, e pelo chamado "quadrilhão do MDB"; Temer foi acusado pela prática dos crimes de organização criminosa e embaraços à investigação; uma das denúncias também alcança os ex-ministros Eliseu Padilha e Moreira Franco

MPF oferece duas novas denúncias contra Temer no âmbito da Operação Greenfield
MPF oferece duas novas denúncias contra Temer no âmbito da Operação Greenfield (Foto: REUTERS/Adriano Machado)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ministério Púbico Federal (MPF) ratificou as duas ações na esfera criminal contra o ex-presidente Michel Temer no âmbito da Operação Greenfield em função do episódio gravado pelo empresário Joesley Batista, do grupo J&F, no Palácio do Jaburu, pelo chamado "quadrilhão do MDB". Temer foi acusado pela prática dos crimes de organização criminosa e embaraços à investigação. Uma das denúncias também alcança os ex-ministros da Casa Civil e de Minas e Energia, Eliseu Padilha e Moreira Franco, respectivamente.

Na denúncia sobre causar embaraços à investigação, Temer é acusado de tentar usar Joesley Batista a pagar, por meio do ex-executivo da J&F Ricardo Saud, propinas ao doleiro Lúcio Funaro para evitar que ele fechasse um acordo de delação premiada com o MPF. Na ocasião, Temer foi gravado por Joesley e a frase utilizada por ele – "tem que manter isso, viu" – ficou conhecida nacionalmente.

A denúncia sobre o quadrilhão do MDB, foi oferecida em 2017 pelo então procurador-geral da República, Rodrigo Janot. O processo, porém, estava suspenso devido ao fato de não ter sido autorizado pela Câmara dos Deputados. Com o fim do mandato presidencial, contudo, a denúncia foi enviada à 1ª instância judicial.

Com a ação do MPF, Temer responde a seis denúncias desde que perdeu a prerrogativa do foro privilegiado. Os outros quatro processos estão ligados às investigações da Operação Lava Jato.

 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247