MPF pede que ministério explique falta de remédios para intubação de pacientes graves com Covid-19

MPF solicitou informações ao Ministério da Saúde sobre as denúncias referentes à falta de medicamentos utilizados para intubação de pacientes internados com Covid-19 e as medidas adotadas para regularizar o estoque

(Foto: Amanda Perobelli - REUTERS)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O Ministério Público Federal (MPF) solicitou informações ao Ministério da Saúde sobre as denúncias referentes à falta de medicamentos utilizados para intubação de pacientes internados com Covid-19. 

Segundo reportagem do site UOL, no oficio, procuradores do Distrito Federal, Rio de Janeiro, São Paulo e Sergipe, pedem detalhes sobre como a demanda dos remédios teria sido calculada, além de tentar assegurar que as providências adotadas sejam suficientes para assegurar a reposição dos estoques. 

O ofício foi formulado a partir de denúncias e informações recebidas pelo MPF apontando o risco do desabastecimento de sedativos necessários à intubação dos pacientes. 

Um documento do (Conass) Conselho Nacional de Secretários de Saúde e da Associação Nacional de Hospitais Privados (Anahp) ressalta que sedativos e antibióticos essenciais para tratar e intubar -pacientes graves estão em falta no Brasil e com preços até 287,44% mais altos desde início da pandemia. 

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247