MPF quer pena mais dura a Lula e condenação de Okamotto

Os membros do Ministério Público Federal na Operação Lava Jato recorreram ao juiz Sérgio Moro nesta segunda-feira por pena mais dura ao ex-presidente Lula e também pediram a condenação do presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto, no caso do triplex do Guarujá; Lula foi condenado a nove anos e meio de prisão por suposta corrupção e lavagem de dinheiro; os procuradores querem ainda que Lula seja condenado pelo armazenamento do bens que recebeu enquanto presidente pela empresa Granero; eles sustentam que "resta evidente que o conteúdo do contrato celebrado não consistiu em erro, mas se apresenta como clara fraude contratual"

Os membros do Ministério Público Federal na Operação Lava Jato recorreram ao juiz Sérgio Moro nesta segunda-feira por pena mais dura ao ex-presidente Lula e também pediram a condenação do presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto, no caso do triplex do Guarujá; Lula foi condenado a nove anos e meio de prisão por suposta corrupção e lavagem de dinheiro; os procuradores querem ainda que Lula seja condenado pelo armazenamento do bens que recebeu enquanto presidente pela empresa Granero; eles sustentam que "resta evidente que o conteúdo do contrato celebrado não consistiu em erro, mas se apresenta como clara fraude contratual"
Os membros do Ministério Público Federal na Operação Lava Jato recorreram ao juiz Sérgio Moro nesta segunda-feira por pena mais dura ao ex-presidente Lula e também pediram a condenação do presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto, no caso do triplex do Guarujá; Lula foi condenado a nove anos e meio de prisão por suposta corrupção e lavagem de dinheiro; os procuradores querem ainda que Lula seja condenado pelo armazenamento do bens que recebeu enquanto presidente pela empresa Granero; eles sustentam que "resta evidente que o conteúdo do contrato celebrado não consistiu em erro, mas se apresenta como clara fraude contratual" (Foto: Romulo Faro)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Os membros do Ministério Público Federal na Operação Lava Jato recorreram ao juiz Sérgio Moro nesta segunda-feira (31) por pena mais dura ao ex-presidente Lula, e também pediram a condenação do presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto, no caso do triplex do Guarujá.

Lula foi condenado a nove anos e meio de prisão por suposta corrupção e lavagem de dinheiro. Os procuradores querem revisão da pena aplicada ao ex-presidente pelo suposto crime e ainda pedem sua condenação por lavagem de dinheiro de R$ 1,3 milhão pelo armazenamento de seus bens pela Granero custeados pela construtora.

O Ministério Público Federal quer ainda que Lula seja condenado pelo armazenamento do bens que recebeu enquanto presidente da República pela empresa Granero. Eles sustentam que "resta evidente que o conteúdo do contrato celebrado não consistiu em erro, mas se apresenta como clara fraude contratual, na tentativa pelos denunciados de ocultarem e dissimularem a real propriedade dos bens armazenados e o financiamento de despesas atinentes ao ex-Presidente Lula e ao Instituto Lula pelo Grupo OAS".

A procuradoria quer que Paulo Okamotto, absolvido por Moro, seja condenado por lavagem de dinheiro no valor de R$ 1,3 milhão por intermediar a negociação envolvendo as 'tralhas' do petista.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247