"Não é republicano", diz Freixo sobre investidas de Weintraub contra Wikipedia

Deputado Marcelo Freixo (PSOL) enviou um requerimento ao MEC questionando o uso da assessoria do ministério para resolver questões de interesse pessoal do ministro da Educação, Abraham Weintraub, que questiona dois pontos principais em sua biografia: os cortes nos recursos das universidades e informações sobre sua vida pessoal. “Isso é grave, não é republicano e não está à altura de um cargo como ministro da Educação alguém tão raso, alguém com iniciativas tão pequenas”, disse Freixo

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Revista Fórum - O ministro da Educação, Abraham Weintraub, insiste há meses na guerra contra a sua biografia no Wikipédia. Recentemente, conforme divulgou a Folha de S.Paulo em reportagem nesta segunda-feira (9), o deputado Marcelo Freixo (PSOL) enviou um requerimento ao Ministério da Educação (MEC) questionando o uso da assessoria do ministério para resolver questões de interesse pessoal de Weintraub com Wikipédia. O ministro terá 30 dias para responder ao requerimento.

“Isso é grave, não é republicano e não está à altura de um cargo como ministro da Educação alguém tão raso, alguém com iniciativas tão pequenas”, disse Freixo em discurso no plenário da Câmara Federal na semana passada.

Em solicitação enviada no dia 13 de agosto, a assessoria do MEC pedia a alteração de dois pontos principais na biografia de Weintraub: os cortes nos recursos das universidades e informações sobre sua vida pessoal.

Leia a íntega na Revista Fórum

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email