Nenhum desmatador da Amazônia investigado foi condenado nos últimos cinco anos

Das dez grandes operações contra o desmatamento ilegal na Amazônia de 2014 até hoje, nenhuma resultou em condenação para desmatadores, segundo procuradores do Ministério Público Federal (MPF). O procurador Daniel Azeredo diz que o prejuízo com crimes ambientais no Brasil chega a R$ 9 bilhões

(Foto: REUTERS/Ricardo Moraes)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Das dez grandes operações contra o desmatamento ilegal na Amazônia de 2014 até hoje, nenhuma resultou em condenação para desmatadores, segundo procuradores do Ministério Público Federal (MPF). O procurador Daniel Azeredo diz que o prejuízo com crimes ambientais no Brasil chega a R$ 9 bilhões. 

A reportagem do portal G1 informa que "o cálculo leva em conta os dados de desmatamento registrados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) e o valor de mercado das terras devastadas."

Para Azeredo, "a impunidade é o que estimula a prática de crimes na Amazônia. Além disso, as penas para esse tipo de crimes são consideradas baixas e não levam ao regime fechado de prisão."

Ele diz: "o crime ambiental na Amazônia não é um crime isolado, ele faz parte de uma rede maior de organizações criminosas. Nós temos ali várias organizações criminosas instaladas com modus operandi parecidos com organizações que traficam drogas, que fazem tráfico de pessoas."

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247