Nota acadêmica da Kroton cai e da Estácio aumenta

Dados do Enade 2015, divulgado pelo MEC nessa quarta-feira, 8, mostram que a Kroton e Estácio - os dois maiores grupos privados de ensino superior do país que negociam uma fusão - tiveram desempenhos acadêmicos distintos na avaliação; apenas 9% as instituições de ensino da Kroton foram classificadas com nota 4 (de um ranking de 1 a 5); no exame anterior, de 2012, esse percentual era de 18%; já na Estácio, a participação das escolas com conceito 4 aumentou de 5% para 20% no mesmo período de comparação

Dados do Enade 2015, divulgado pelo MEC nessa quarta-feira, 8, mostram que a Kroton e Estácio - os dois maiores grupos privados de ensino superior do país que negociam uma fusão - tiveram desempenhos acadêmicos distintos na avaliação; apenas 9% as instituições de ensino da Kroton foram classificadas com nota 4 (de um ranking de 1 a 5); no exame anterior, de 2012, esse percentual era de 18%; já na Estácio, a participação das escolas com conceito 4 aumentou de 5% para 20% no mesmo período de comparação
Dados do Enade 2015, divulgado pelo MEC nessa quarta-feira, 8, mostram que a Kroton e Estácio - os dois maiores grupos privados de ensino superior do país que negociam uma fusão - tiveram desempenhos acadêmicos distintos na avaliação; apenas 9% as instituições de ensino da Kroton foram classificadas com nota 4 (de um ranking de 1 a 5); no exame anterior, de 2012, esse percentual era de 18%; já na Estácio, a participação das escolas com conceito 4 aumentou de 5% para 20% no mesmo período de comparação (Foto: Aquiles Lins)

247 - O Ministério de Educação divulgou nessa quarta-feira, 8, os resultados do Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade) 2015, que avalia o rendimento dos alunos dos cursos de graduação, ingressantes e concluintes.

A Kroton e Estácio - os dois maiores grupos privados de ensino superior do país que negociam uma fusão - tiveram desempenhos acadêmicos distintos na avaliação.

Segundo os dados, apenas 9% as instituições de ensino da Kroton foram classificadas com nota 4 (de um ranking de 1 a 5). Esse percentual representa metade dos 18% registrados na análise anterior realizada em 2012.

"Estamos realizando diversas ações para a constante melhoria da qualidade acadêmica; apenas nos últimos dois anos (2015 e 2016) aproximadamente R$ 400 milhões foram investidos em projetos relacionados à excelência de ensino, inovação e melhoria da experiência do aluno", informou a Kroton por meio de comunicado.

Entre as instituições de ensino superior com capital aberto em bolsa, a Kroton foi a única que registrou uma piora na avaliação feita pelo MEC na comparação com o ano anterior.

Já na Estácio, a participação das escolas com conceito 4 aumentou de 5% para 20% no mesmo período de comparação. Segundo a companhia carioca, esse aumento é devido à adoção de um modelo acadêmico único para todas as instituições do grupo.

"Todos os alunos de determinado curso, independente, se estão no Rio ou Nordeste têm a mesma prova e conteúdo didático", disse Hudson Mello Junior, vice-presidente de ensino da Estácio.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247