Novo integrante da Comissão da Verdade exalta Ustra e defende tiro para revidar cusparada

Weslei Antônio Maretti, o coronel reformado do Exército escolhido por Jair Bolsonaro para compor a Comissão da Verdade, exalta Ustra e defende tiro para revidar cusparada, no episódio envolvendo Jean Wyllys e Bolsonaro

Carlos Alberto Brilhante Ustra
Carlos Alberto Brilhante Ustra (Foto: ABr)

247 - Weslei Antônio Maretti, o coronel reformado do Exército escolhido por Jair Bolsonaro para compor a Comissão da Verdade, se revela nas redes sociais um personagem ultra-afinado com as mais controversas ideias de quem o alçou à cadeira. A informação é do jornalista Lauro Jardim, em sua coluna no UOL. 

Em postagens no Facebook, Maretti costuma divulgar abaixo-assinados promovidos pela 'change.org', entidade que hoje atira pedras na indicação de Eduardo Bolsoanro à embaixada de Washington.

Mas Maretti se identificou com outras propostas da organização, entre elas a que pregava fim da Lei Rouanet e a "exoneração de Dias Toffoli" por razões como "constrangimento de toda a sociedade".

O militar também declarou apoio ao movimento que pedia a cassação do mandato de Jean Wyllys por ter cuspido em Bolsonaro quando ambos eram deputados, em 2016.

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247