"O Brasil do cinismo"

Doutor em Ciência Política pela Universidade de São Paulo (USP) e professor da pós-graduação na Faculdade de Comunicação Cásper Líbero, o sociólogo Sérgio Amadeu da Silveira relembra, em artigo publicado na Revista Forum, dos desatinos e diferenças que levaram ao processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff; Silveira destaca que que 35 dos 38 deputados que aprovaram o impeachment na Comissão respondem a processos de corrupção; outros interessados no golpe, como o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), os senadores José Serra e Aécio Neves, ambos do PSDB, o vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB), também respondem a processos ou foram citados em delações premiadas na Operação Lava Jato; "Sim, esse é o Brasil do cinismo", afirma

Doutor em Ciência Política pela Universidade de São Paulo (USP) e professor da pós-graduação na Faculdade de Comunicação Cásper Líbero, o sociólogo Sérgio Amadeu da Silveira relembra, em artigo publicado na Revista Forum, dos desatinos e diferenças que levaram ao processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff; Silveira destaca que que 35 dos 38 deputados que aprovaram o impeachment na Comissão respondem a processos de corrupção; outros interessados no golpe, como o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), os senadores José Serra e Aécio Neves, ambos do PSDB, o vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB), também respondem a processos ou foram citados em delações premiadas na Operação Lava Jato; "Sim, esse é o Brasil do cinismo", afirma
Doutor em Ciência Política pela Universidade de São Paulo (USP) e professor da pós-graduação na Faculdade de Comunicação Cásper Líbero, o sociólogo Sérgio Amadeu da Silveira relembra, em artigo publicado na Revista Forum, dos desatinos e diferenças que levaram ao processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff; Silveira destaca que que 35 dos 38 deputados que aprovaram o impeachment na Comissão respondem a processos de corrupção; outros interessados no golpe, como o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), os senadores José Serra e Aécio Neves, ambos do PSDB, o vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB), também respondem a processos ou foram citados em delações premiadas na Operação Lava Jato; "Sim, esse é o Brasil do cinismo", afirma (Foto: Paulo Emílio)

Revista FórumEduardo Cunha há 237 dias foi denunciado por corrupção.
Michel Temer há 235 dias foi delatado por Júlio Camargo na Operação Lava-Jato.
Aécio Neves há 406 dias foi delatado pela primeira vez pelo doleiro Yussef.
José Serra há 4989 dias foi condenado no caso Proer, mas Gilmar Dantas cancelou a condenação.
35 dos 38 deputados que aprovaram o impeachment na Comissão respondem processos de corrupção.
Janot arquivou até agora as denúncias contra o PSDB na Operação Lava-Jato.
Sergio Moro tornou sigilosa a lista que mostra que o PSDB e o PMDB receberam os maiores valores da Odebrecht.
Estes são os homens que defendem a moralidade e querem cassar a presidente para passar o Brasil a limpo. Cunha, Temer, Aécio, Serra, Janot e Moro são os homens que querem cassar a presidente. Sim, esse é o Brasil do cinismo. Um impeachment por manobras contábeis promovido por um grupo de falsos moralistas que dominaram o parlamento e as funções essenciais da justiça. Denuncie.

* Sérgio Amadeu da Silveira é sociólogo, doutor em Ciência Política pela Universidade de São Paulo (USP) e professor da pós-graduação na Faculdade de Comunicação Cásper Líbero

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247