“O Brasil nunca se livrou da tutela militar”, diz Breno Altman

O jornalista analisou o papel das Forças Armadas na política brasileira. Para ele, a transição democrática em 1988 foi incompleta, dando espaço para que a “tutela militar” permanecesse uma força central. Assista

(Foto: Divulgação)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O jornalista Breno Altman, editor do Opera Mundi, analisou no Bom dia 247 o papel na política brasileira das Forças Armadas.

Para Altman, as Forças Armadas nunca perderam sua posição central na política, mesmo após a transição democrática. “Isso é uma expressão da tutela militar da qual o país nunca se livrou. Um dos motivos que levou o Partido dos Trabalhadores a votar contra a Constituição de 1988 é o artigo 142, que configura um sistema de tutela militar permanente. Este artigo diz que a função das forças armadas é a defesa da soberania nacional e das instituições da lei e da ordem, desde que convocados por um dos três poderes do Estado. É um artigo dúbio, mas cujo espírito é colocar as Forças Armadas como poder moderador. Foi uma exigência das Forças Armadas naquela época”, disse o jornalista.

“Embora este artigo não tenha jamais sido acionado diretamente, ele é o pano de fundo da transição conservadora entre a ditadura e a democracia. Nunca foi alterado isso”, acrescentou. 

Conforme admitido pelo general Eduardo Villas Bôas em livro que será publicado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), as Forças Armadas intentam interferir no Poder Judiciário e possuem um claro alinhamento político a favor do conservadorismo. 

Inscreva-se na TV 247, seja membro e compartilhe:

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email