'O Haddad do segundo turno é o Haddad', diz Jacques Wagner

O senador eleito Jacques Wagner (PT) passou a coordenar a campanha de Fernando Haddad à presidência neste segundo turno e afirmou que o candidato tem agora que assumir mais a própria personalidade, desprendendo-se da estratégia vitoriosa do primeiro turno, que o levou à segunda etapa das eleições; Wagner diz: "o Haddad chega ao segundo turno como a substituição do Lula, agora o Haddad do segundo turno é o Haddad"

'O Haddad do segundo turno é o Haddad', diz Jacques Wagner
'O Haddad do segundo turno é o Haddad', diz Jacques Wagner (Foto: Elza Fiúsa/Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O senador eleito Jacques Wagner (PT) passou a coordenar a campanha de Fernando Haddad à presidência neste segundo turno e afirmou que o candidato tem agora que assumir mais a própria personalidade, desprendendo-se da estratégia vitoriosa do primeiro turno, que o levou à segunda etapa das eleições. Wagner diz: "o Haddad chega ao segundo turno como a substituição do Lula, agora o Haddad do segundo turno é o Haddad".

Segundo o jornal O Estado de S. Paulo, Wagner destacou "que é impossível 'descolar' do ex-presidente, mas que 'ninguém vive só do que foi'".

Wagner pondera que agora é hora de o Haddad dizer "o 'meu' programa de governo". 

Segundo a reportagem, "integrantes da campanha de Haddad e dirigentes de partidos aliados, como o PCdoB, defendem que o candidato do PT se coloque como o centro de sua campanha ao segundo turno, se descolando da imagem de substituto de Lula que conduziu a estratégia da legenda na primeira etapa da eleição".

 

 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247