OAB diz que Temer prevaricou em diálogo com empresário ‘fanfarrão e delinquente’

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Claudio Lamachia, afirmou nesta segunda-feira 22, em referência a Joesley Batista, da JBS, que "se o presidente da República sabia que estava diante de um interlocutor que é um 'fanfarrão' e um 'delinquente, 'não deveria ter recebido"; ele disse que pretende entregar o pedido de impeachment de Michel Temer da OAB na Câmara dos Deputados até sexta-feira 26

Brasília - O presidente da OAB, Cláudio Pacheco Prates Lamachia, durante coletiva fala sobre o senador Delcídio do Amaral (Valter Campanato/Agência Brasil)
Brasília - O presidente da OAB, Cláudio Pacheco Prates Lamachia, durante coletiva fala sobre o senador Delcídio do Amaral (Valter Campanato/Agência Brasil) (Foto: Gisele Federicce)

247 - O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Claudio Lamachia, afirmou nesta segunda-feira 22, em referência a Joesley Batista, da JBS, que "se o presidente da República sabia que estava diante de um interlocutor que é um 'fanfarrão' e um 'delinquente', não deveria ter recebido".

Lamachia disse que Temer cometeu o crime de prevaricação na conversa com Joesley, que foi gravada pelo empresário na noite de 7 de março no Palácio do Jaburu, por não negar, em seus pronunciamentos até hoje, que realmente teve a conversa com Batista.

Em seus pronunciamentos no Planalto, Temer apontou fraude na gravação de Joesley, a quem chamou de "fanfarrão" e "delinquente", mas não negou o encontro no Jaburu. 

Lamachia disse que pretende entregar o pedido de impeachment de Michel Temer, aprovado pela OAB no fim de semana, na Câmara dos Deputados até sexta-feira 26.

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247