OAB: foro privilegiado é incompatível com a democracia

Às vésperas de o STF debater os limites do foro privilegiado, a Ordem dos Advogados do Brasil declarou que está em alerta para que sejam corrigidas "as distorções que transformaram o foro privilegiado em um privilégio incompatível com o período democrático"; em nota assinada pelo presidente do Conselho Federal, Cláudio Lamachia, a entidade máxima da Advocacia assinala que "a Constituição, ao estabelecer o foro por prerrogativa de função, pretendeu proteger os cargos e as instituições e não seus ocupantes, como ocorre hoje"; atualmente, mais de 30 mil políticos e administradores públicos desfrutam do privilégio em todo o País, perante todos os tribunais – estaduais, regionais federais e superiores

Claudio Lamachia 
Claudio Lamachia  (Foto: Giuliana Miranda)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A Ordem dos Advogados do Brasil declarou nesta segunda-feira, 20, que está em alerta para que sejam corrigidas ‘as distorções que transformaram o foro privilegiado em um privlégio incompatível com o período democrático’.

Em nota pública, subscrita pelo presidente do Conselho Federal, Cláudio Lamachia, a entidade máxima da Advocacia assinala que ‘a Constituição, ao estabelecer o foro por prerrogativa de função, pretendeu proteger os cargos e as instituições e não seus ocupantes, como ocorre hoje’.

“A proliferação indiscriminada das funções protegidas por foro fez com que ele se transformasse em uma regalia”, afirma a OAB.

Nesta próxima quinta-feira, 23, o Supremo Tribunal Federal deverá decidir se o foro especial vale só para delitos cometidos no exercício do mandato.

Atualmente, mais de 30 mil políticos e administradores públicos desfrutam do privilégio em todo o País, perante todos os tribunais – estaduais, regionais federais e superiores.

As informações são de reportagem de Luiz Vassallo no Estado de S.Paulo.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247