OAB nacional se oferece para mediar greve na Bahia

Contatado por Saul Quadros, da seccional baiana, o presidente Ophir Cavalcante tomou conhecimento do dramtico cenrio de uma Salvador sem polcia

OAB nacional se oferece para mediar greve na Bahia
OAB nacional se oferece para mediar greve na Bahia (Foto: Divulgação)

Jaciara Santos_Bahia 247 - O presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil, Ophir Cavalcante, manifestou interesse nesta segunda-feira (6) em intermediar as negociações entre o governo e a Polícia Militar da Bahia para pôr um fim à greve que completa amanhã (7) uma semana. Contatado via telefone pelo presidente da Seccional baiana da OAB, Saul Quadros, o dirigente nacional reconheceu a gravidade do quadro:

"A situação é tensa, de muita intranquilidade e de consequências imprevisíveis", disse em entrevista ao site do Conselho Federal da OAB. Ele chama a atenção para a necessidade do entendimento e da flexibilidade, observando que "as duas partes precisam entender que é hora de cada um ceder no que for necessário para restaurar a segurança e a ordem na Bahia.".

Durante o contato com Ophir, o presidente da OAB-BA apresentou dados que comprovam o aumento da violência em Salvador e região metropolitana, com o registro de quase 100 homicídios desde o início da greve. "A situação é grave tanto na capital como no interior", destacou Saul. A seccional baiana da OAB também divulgou nota conclamando o comando da greve e o governo a saírem do impasse, justificando que "a sociedade civil não pode mais vivenciar essa situação de insegurança".

Histórico

Só para lembrar: a greve foi deflagrada no final da tarde do dia 31 de janeiro, quando aproximadamente um terço da tropa aderiu ao movimento e uma parte dos grevistas resolveu ocupar as instalações da Assembleia Legislativa do Estado, no Centro de Convenções da Bahia. A PMBA conta atualmente com um contingente de 32 mil homens, segundo dados da corporação.

A Justiça baiana concedeu uma liminar decretando a ilegalidade da greve e determinando que a Associação de Policiais e Bombeiros e de seus Familiares do Estado da Bahia (Aspra), que comanda o movimento, suspenda a greve. A sede da entidade foi lacrada e foi proibida a realização de qualquer ato sob seu comando. Doze mandados de prisão contra líderes grevistas foram expedidos. Cerca de 40 homens do Comando de Operações Táticas, a tropa de elite da Polícia Federal (PF), estão em Salvador para cumprir as decisões judiciais. Desde as primeiras horas da manhã de hoje, tropas federais cercam o prédio do Poder Legislativo para forçar a saída dos grevistas.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247