OAB não investiga escritórios e advogados citados em delação da JBS

Passados quase quatro meses das delações de executivos da JBS virem à tona, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) ainda não abriu processos disciplinares para apurar as suspeitas envolvendo advogados e escritórios de advocacia que foram citados nos depoimentos pagamento de serviços de advocacia por meio de notas frias foi um dos principais mecanismos utilizados para o pagamento de propinas; em maio, o presidente da OAB, Cláudio Lamachia, pediu informações ao STF para analisar a possibilidade de punições disciplinares, mas nenhuma apuração formal foi aberta

Brasília - O presidente da OAB, Cláudio Pacheco Prates Lamachia, durante coletiva fala sobre o senador Delcídio do Amaral (Valter Campanato/Agência Brasil)
Brasília - O presidente da OAB, Cláudio Pacheco Prates Lamachia, durante coletiva fala sobre o senador Delcídio do Amaral (Valter Campanato/Agência Brasil) (Foto: Paulo Emílio)

247 - Apesar de passados quase quatro meses das delações de executivos da JBS virem à tona, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) ainda não abriu os processos disciplinares para apurar as suspeitas envolvendo advogados e escritórios de advocacia que foram citados nos depoimentos. Segundo as delações, o pagamento de serviços de advocacia por meio de notas frias foi um dos principais mecanismos utilizados para o pagamento de subornos a políticos.

Em maio, o presidente da OAB, Cláudio Lamachia, pediu um conjunto de informações ao Supremo Tribunal Federal (STF) para analisar a possibilidade de punições disciplinares contra os envolvidos. Apesar disso, nenhuma apuração formal foi aberta e também não foi aplicada nenhuma sanção.

Segundo o delator e lobista da JBS Ricardo Saud, somente ele teria pago, por meio de notas falsas, com "mais de cem escritórios de advocacia". Segundo o jornal Folha de São Paulo, porém, o número de escritórios citados seria bem menor, apenas 17, e estariam localizados em Brasília, Rio de Janeiro, São Paulo, Rio Grande do Norte, Bahia, Minas Gerais e Pará.

Por meio de Nota, a OAB afirma que "acompanha atenta o desenrolar desses fatos, por isso já solicitou ao STF mais informações sobre as acusações feitas pelos delatores contra os escritórios de advocacia". "Se houver algum fato concreto envolvendo advogados e escritórios de advocacia em irregularidades, eles serão apurados no âmbito da OAB nos termos do estatuto da advocacia", completou a instituição.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247