Objetivo de Lula era recompor relação com Temer e com o PMDB

Os novos diálogos da Vaza Jato também trazem conversas entre os ex-presidentes Lula e Michel Temer, que demonstram que o objetivo do primeiro era recompor a aliança com o PMDB e, assim, garantir a continuidade do governo da ex-presidente Dilma Rousseff. Tais diálogos, no entanto, foram omitidos no vazamento de Sergio Moro para a Globo

247 – O novo capítulo da Vaza Jato também demonstra que Lula pretendia apenas atuar como ministro da Casa Civil, reconstruindo a aliança com o PMDB. Duas de suas conversas com Michel Temer deixam isso claro, mas os diálogos foram omitidos porque o objetivo da Lava Jato era criar a falsa impressão de que Lula pretendia apenas se blindar na Lava Jato – tese admitida por Gilmar Mendes para impedir sua posse na Casa Civil. Confira abaixo mais um trecho da reportagem da Folha e do Intercept:

A PF escutou duas conversas de Lula e Temer. Na primeira, eles marcaram uma reunião para o dia seguinte, e Lula disse a Temer que a rejeição enfrentada pelos políticos numa recente manifestação pró-impeachment mostrava que o avanço da Lava Jato criara riscos para todos os partidos, não só o PT. 

Na segunda ligação, após discutir a situação de um aliado do vice-presidente no governo, o petista prometeu ser um parceiro e disse que eles deveriam atuar como "irmãos de fé". Segundo as anotações dos agentes da PF, Temer respondeu a Lula dizendo que "sempre teve bom relacionamento" com ele. 

Embora os registros mostrem que os policiais prestaram atenção a todas as conversas do ex-presidente, o telefonema de Dilma foi o único que a PF anexou aos autos da investigação sobre Lula nesse dia antes que Moro determinasse o levantamento do sigilo do processo. 

Informado das anotações da PF sobre suas conversas com Lula em 16 de março de 2016, o ex-presidente Michel Temer disse que reconhece os diálogos, e que nunca soube que tinha sido grampeado naquele dia.

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247