OCDE cobra explicações do Brasil por cortes no orçamento da Lava Jato

Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) questionou o governo brasileiro sobre o corte de verbas que desde o último mês de julho afeta as investigações da Operação Lava Jato; Brasil deverá prestar esclarecimentos durante uma reunião convocada para debater o assunto no próximo dia 17 de outubro; cortes determinados em maio pelo governo Michel Temer reduziram em 44% os gastos com custeio da operação, além de terem provocado uma diminuição nas equipes que atuam na força-tarefa

Agente da Polícia Federal visto durante operação no Rio de Janeiro. 30/01/2017 REUTERS/Ueslei Marcelino
Agente da Polícia Federal visto durante operação no Rio de Janeiro. 30/01/2017 REUTERS/Ueslei Marcelino (Foto: Paulo Emílio)

247 - A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) questionou o governo brasileiro sobre o corte de verbas que desde o último mês de julho afeta as investigações da Operação Lava Jato. O Brasil deverá prestar esclarecimentos durante uma reunião convocada para debater o assunto no próximo dia 17 de outubro.

A reunião foi solicitada pelo Grupo de Trabalho sobre Corrupção da OCDE, que tem como ponto central de atuação o combate a corrupção e a lavagem de dinheiro. Embora o Brasil não seja membro da OCDE, o país é avaliado pela entidade internacional.

"Gostaríamos de convidar países com eventos recentes que poderiam potencialmente impactar a implementação do combate ao pagamento de propinas", disse a OCDE em um e-mail publicado pelo jornal O Estado de São Paulo. "Os países concernidos são Reino Unido, Noruega e Brasil", completa o texto.

Os cortes determinados em maio pelo governo Michel Temer reduziram em 44% os gastos com custeio da operação, além de terem provocado uma diminuição nas equipes que atuam na força-tarefa. O corte em Curitiba, núcleo maior da operação, foi tão forte que levou a Polícia federal a desmanchar as equipes que atuavam nas investigações.

Na época, o governo Temer negou que os cortes resultariam em um esvaziamento das investigações.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247