Odebrecht pede que STF investigue vazamentos por conta própria

A Odebrecht se baseou nas recentes decisões do STF que abriram inquéritos sem aval do MPF e apresentou à Corte um pedido semelhante; a empreiteira quer que o próprio Supremo investigue vazamentos de documentos envolvidos em colaborações premiadas, sob o argumento de que a PGR não estaria cumprindo esse papel mesmo com a determinação da Segunda Turma do órgão

Odebrecht pede que STF investigue vazamentos por conta própria
Odebrecht pede que STF investigue vazamentos por conta própria (Foto: GUADALUPE PARDO - REUTERS)

247 - A Odebrecht se baseou nas recentes decisões do Supremo Tribunal Federal (STF) que abriram inquéritos sem aval do Ministério Público Federal e apresentou à Corte um pedido semelhante. A empreiteira quer que o próprio Supremo investigue vazamentos de documentos envolvidos em colaborações premiadas, sob o argumento de que a Procuradoria-Geral da República (PGR) não estaria cumprindo esse papel mesmo com a determinação da Segunda Turma do STF tomada há cerca de seis meses.

De acordo com o Blog do Fausto Macedo, "são dois os precedentes citados pela empreiteira. O primeiro foi o aberto em 2018 para apurar ilegalidades na transferência do ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral com uso de algemas, de um estabelecimento prisional para outro. O segundo foi o inquérito instaurado em março por decisão do presidente do Supremo, Dias Toffoli, e presidido pelo ministro Alexandre de Moraes. Foi nessa investigação que Moraes mandou censurar reportagem da revista eletrônica Crusoé que relaciona Toffoli à Odebrecht, provocando grande polêmica".

Entre os materiais que foram vazados, segundo a empresa, estão vídeos e transcrições dos depoimentos que os cdelatores deram junto à PGR. A Odebrecht alega que "os documentos irregularmente disponibilizados à imprensa estavam sob custódia apenas de membros da PGR" e que houve "falta de comprometimento dos órgãos investigativos com a apuração".

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247