OMS: surto de febre amarela deve se espalhar pelo Brasil

Organização Mundial da Saúde (OMS) disse que é esperada a detecção de casos de febre amarela em outros Estados do Brasil além de Minas Gerais, que concentra a maior parte dos registros, Espírito Santo e São Paulo; "É esperado que casos adicionais serão detectados em outros Estados do Brasil considerando-se o movimento interno de pessoas e macacos infectados e o baixo nível de cobertura vacinal em áreas que antes não eram consideradas de risco para transmissão de febre amarela", diz o informe da organização; país vive o maior surto da doença desde 1980, quando teve início a série histórica

Organização Mundial da Saúde (OMS) disse que é esperada a detecção de casos de febre amarela em outros Estados do Brasil além de Minas Gerais, que concentra a maior parte dos registros, Espírito Santo e São Paulo; "É esperado que casos adicionais serão detectados em outros Estados do Brasil considerando-se o movimento interno de pessoas e macacos infectados e o baixo nível de cobertura vacinal em áreas que antes não eram consideradas de risco para transmissão de febre amarela", diz o informe da organização; país vive o maior surto da doença desde 1980, quando teve início a série histórica
Organização Mundial da Saúde (OMS) disse que é esperada a detecção de casos de febre amarela em outros Estados do Brasil além de Minas Gerais, que concentra a maior parte dos registros, Espírito Santo e São Paulo; "É esperado que casos adicionais serão detectados em outros Estados do Brasil considerando-se o movimento interno de pessoas e macacos infectados e o baixo nível de cobertura vacinal em áreas que antes não eram consideradas de risco para transmissão de febre amarela", diz o informe da organização; país vive o maior surto da doença desde 1980, quando teve início a série histórica (Foto: Aquiles Lins)

247 - Organização Mundial da Saúde (OMS) informou nesta sexta-feira, 27, que é esperada a detecção de casos de febre amarela em outros Estados do Brasil além de Minas Gerais, que concentra a maior parte dos registros, Espírito Santo e São Paulo.

O país vive o maior surto da doença desde 1980, quando teve início a série histórica.

"É esperado que casos adicionais serão detectados em outros Estados do Brasil considerando-se o movimento interno de pessoas e macacos infectados e o baixo nível de cobertura vacinal em áreas que antes não eram consideradas de risco para transmissão de febre amarela", diz o informe da organização.

A entidade disse que as autoridades do Brasil estão tomando medidas aduadas para conter o surto, mas cobrou mais vacinação nas áreas de risco.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247