Onyx nega devastação na Amazônia: 'europeus usam meio ambiente para obter vantagens comerciais'

O nível de desculpas do governo brasileiro atingiu as raias do pitoresco. Não bastasse Bolsonaro culpar as ONGs pelas queimadas na Amazônia, o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, afirma que o discurso de países europeus sobre a devastação da maior floresta do mundo é para obter vantagens comerciais

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O nível de desculpas do governo brasileiro atingiu as raias do pitoresco. Não bastasse Bolsonaro culpar as ONGs pelas queimadas na Amazônia, o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, afirma que o discurso de países europeus sobre a devastação da maior floresta do mundo é para obter vantagens comerciais.

A reportagem do jornal Folha de S.Paulo destaca a fala pouco crível do ministro de Bolsonaro: "os europeus usam a questão do meio ambiente por duas razões: a primeira para confrontar os princípios capitalistas. Porque desde que caiu o muro de Berlim e desde que a União Soviética fracassou, uma das vertentes para qual a esquerda europeia migrou foi a questão do meio ambiente. E a outra coisa é para estabelecer barreiras ao crescimento e ao comércio de bens e serviços do Brasil."

A matéria ainda oferece mais um trecho da desculpa palaciana: "só no vinho, os europeus gastam 1,4 bilhão de euros por ano para dar sustentação à produção europeia. Por que eles têm tanto interesse em criar dificuldades ao Brasil? O Brasil é o grande competidor em commodities, em bens minerais e é o último grande depósito da humanidade em biodiversidade."

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email