Orçamento de Bolsonaro para 2020 tira metade dos recursos do MEC para pesquisa

Na Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), que financia pesquisadores da pós-graduação e também professores de educação básica, o orçamento vai pela metade: sai de R$ 4,25 bilhões, segundo o valor autorizado para 2019, para R$ 2,20 bilhões em 2020

(Foto: Marcos Corrêa/PR)

247 - A proposta orçamentária para 2020, elaborada pelo governo Jair Bolsonaro (PSL), reduz em 18% os recursos totais do Ministério da Educação (MEC) na comparação com 2019. O maior corte ocorre no financiamento de pesquisas e nas contas de grandes universidades federais. Segundo o projeto de Lei Orçamentária de 2020, o MEC terá um orçamento previsto de R$ 101 bilhões, contra R$ 122 bilhões aprovados para 2019.

Na Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), que financia pesquisadores da pós-graduação e também professores de educação básica, o orçamento vai pela metade: sai de R$ 4,25 bilhões, segundo o valor autorizado para 2019, para R$ 2,20 bilhões em 2020.

A Capes sofreu um congelamento de R$ 819 milhões de verba este ano. O órgão já cortou 6.198 bolsas em 2019, o que representa 7% do que havia no início do ano.


Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247