Os 3 ofícios do hospital que desmontam a versão de Glaucos e do MPF sobre os recibos de Lula

Hospital Sírio-Libanês enviou ao juiz Sergio Moro três documentos neste mês, pelos quais responde a questionamentos do magistrado e informa que Glaucos da Costamarques, o dono do imóvel que fica ao lado do apartamento onde mora o ex-presidente Lula, em São Bernardo, não recebeu a visita de Roberto Teixeira, advogado de Lula; as informações desmontam a versão do Ministério Público e do próprio Glaucos sobre os recibos de aluguel no processo contra Lula

Hospital Sírio-Libanês enviou ao juiz Sergio Moro três documentos neste mês, pelos quais responde a questionamentos do magistrado e informa que Glaucos da Costamarques, o dono do imóvel que fica ao lado do apartamento onde mora o ex-presidente Lula, em São Bernardo, não recebeu a visita de Roberto Teixeira, advogado de Lula; as informações desmontam a versão do Ministério Público e do próprio Glaucos sobre os recibos de aluguel no processo contra Lula
Hospital Sírio-Libanês enviou ao juiz Sergio Moro três documentos neste mês, pelos quais responde a questionamentos do magistrado e informa que Glaucos da Costamarques, o dono do imóvel que fica ao lado do apartamento onde mora o ex-presidente Lula, em São Bernardo, não recebeu a visita de Roberto Teixeira, advogado de Lula; as informações desmontam a versão do Ministério Público e do próprio Glaucos sobre os recibos de aluguel no processo contra Lula (Foto: Gisele Federicce)

247 - O Hospital Sírio-Libanês enviou ao juiz Sergio Moro três documentos neste mês, pelos quais responde a diversos questionamentos feitos pelo magistrado.

No primeiro, o hospital informa que Glaucos da Costamarques, dono do imóvel que fica ao lado do apartamento onde mora o ex-presidente Lula, em São Bernardo, e que ficou internado no hospital entre 23 de novembro e 29 de dezembro de 2015, não recebeu a visita de Roberto Teixeira, advogado de Lula.

Em um segundo ofício, respondendo a novo questionamento de Moro, o hospital diz que o nome de Teixeira não consta no rol de visitantes gerais do hospital, e não apenas os que visitaram Glaucos. Sobre um terceiro questionamento, o hospital diz que o advogado de Lula não compareceu ao hospital no segundo semestre de 2015.

As informações desmontam a versão do Ministério Público e do próprio Glaucos sobre os recibos de aluguel no processo contra Lula. Em depoimento a Moro, o dono do apartamento apontado como um benefício entregue a Lula em forma de propina, disse ter recebido uma visita de Teixeira no hospital, quando esteve internado em 2015.

Durante esta visita, segundo ele, teria ocorrido uma conversa em que Teixeira teria informado que a partir daquele momento passaria a pagar o aluguel do imóvel. A defesa de Lula sustenta que os aluguéis sempre foram pagos. Glaucos diz que assinou em um único dia, no hospital, todos os recibos de aluguel referentes ao ano de 2015.

Segundo a defesa de Lula, as informações do hospital Sírio-Libanês desmontam a versão do Ministério Público e do próprio Glaucos sobre os recibos. Confira os documentos:

Ofício 1

Ofício 2

Ofício 3

E-mail Sírio

Ao vivo na TV 247 Youtube 247