Padilha: quebra de sigilo de Temer surpreendeu governo

O ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, afirmou que a autorização do ministro do STF Luís Roberto Barroso de quebrar o sigilo bancário de Michel Temer é uma decisão singular e surpreendeu o governo; de acordo com o ministro, além de ser a primeira quebra de sigilo de um ocupante da presidência da República, não houve requerimento da procuradora-geral da República, Raquel Dodge, para a determinação. “Ela [a decisão] é singular, nunca aconteceu ainda, por certo não é algo que agrada”, disse Padilha

Brasília - O ministro chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha fala sobre a reunião de Obras Inacabadas (Valter Campanato/Agência Brasil)
Brasília - O ministro chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha fala sobre a reunião de Obras Inacabadas (Valter Campanato/Agência Brasil) (Foto: Leonardo Lucena)

247 - O ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, afirmou nesta terça (6) que a autorização do ministro do Supremo Tribunal Federal Luís Roberto Barroso de quebrar o sigilo bancário de Michel Temer é uma decisão singular e surpreendeu o governo. A investigação da Polícia Federal apura se Temer recebeu vantagem indevida das empresas da área de porto de Santos (PS), tendo praticando, portanto, crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

De acordo com o ministro, além de ser a primeira quebra de sigilo de um ocupante da presidência da República, não houve requerimento da procuradora-geral da República, Raquel Dodge, para a determinação. “Ela [a decisão] é singular, nunca aconteceu ainda, por certo não é algo que agrada”, disse Padilha, antes de palestrar na Câmara dos Deputados sobre desburocratização.

Padilha afirmou que Temer não tem mostrado vontade de recorrer. “Em que pese ser um fato anômalo, ele está compreendido neste quadro político atual, que quando o governo tem um fato que é altamente positivo, sempre acaba aparecendo um negativo”. 

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247