Para barrar denúncia e salvar Temer, PR troca membro da CCJ

PR já deu início à movimentação para ajudar a barrar o andamento da segunda denúncia contra Michel Temer e os ministros Secretaria-Geral da Presidência, Moreira Franco, e da Casa Civil, Eliseu Padilha; manobra do líder do partido na Câmara visa, José Rocha (BA), visa substituir o deputado Jorginho Mello (SC) pelo Delegado Edson Moreira (MG), em uma das cinco vagas titulares que o partido tem direito na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ); por ocasião da votação da primeira denúncia contra Temer, o PR trocou três de seus membros no colegiado; PSDB e PTB também já trocaram integrantes na comissão

PR já deu início à movimentação para ajudar a barrar o andamento da segunda denúncia contra Michel Temer e os ministros Secretaria-Geral da Presidência, Moreira Franco, e da Casa Civil, Eliseu Padilha; manobra do líder do partido na Câmara visa, José Rocha (BA), visa substituir o deputado Jorginho Mello (SC) pelo Delegado Edson Moreira (MG), em uma das cinco vagas titulares que o partido tem direito na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ); por ocasião da votação da primeira denúncia contra Temer, o PR trocou três de seus membros no colegiado; PSDB e PTB também já trocaram integrantes na comissão
PR já deu início à movimentação para ajudar a barrar o andamento da segunda denúncia contra Michel Temer e os ministros Secretaria-Geral da Presidência, Moreira Franco, e da Casa Civil, Eliseu Padilha; manobra do líder do partido na Câmara visa, José Rocha (BA), visa substituir o deputado Jorginho Mello (SC) pelo Delegado Edson Moreira (MG), em uma das cinco vagas titulares que o partido tem direito na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ); por ocasião da votação da primeira denúncia contra Temer, o PR trocou três de seus membros no colegiado; PSDB e PTB também já trocaram integrantes na comissão (Foto: Paulo Emílio)

247 - O PR, um dos partidos do chamado centrão e que integra a base governista, já deu início à movimentação para ajudar a barrar o andamento da segunda denúncia contra Michel Temer e os ministros Secretaria-Geral da Presidência, Moreira Franco, e da Casa Civil, Eliseu Padilha. A manobra do líder do partido na Câmara visa, José Rocha (BA), visa substituir o deputado Jorginho Mello (SC) pelo Delegado Edson Moreira (MG), em uma das cinco vagas titulares que o partido tem direito na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa. Por ocasião da votação da primeira denúncia contra Temer, o PR trocou três dos cindo membros da CCJ a que tinha direito visando o arquivamento do processo. 

Um outro partido que também fez uso da mesma estratégia de substituição de nomes para favorecer Michel Temer foi o PTB, que na semana passada indicou o deputado Nelson Marquezelli (SP) para a CCJ. Ele votou pela rejeição da primeira denúncia oferecida pela Procuradoria Geral da República contra o peemedebista. O PSDB, principal partido da base aliada governista, também afastou Jutahy Júnior (BA) e colocou João Gualberto (BA).

O PR, que com 38 deputados é a sexta maior bancada da Câmara, vem ampliando a pressão para ocupar mais cargos nos altos escalões federais. A legenda, que ocupa o Ministério dos Transportes, pleiteia o comando da Secretaria dos Portos, hoje nas mãos do PMDB. O PR também deseja a suspensão da privatização do aeroporto de Congonhas (SP), considerado uma espécie de reserva do partido.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247