Para Boulos, "décadas sombrias" do golpe de 64 não podem ser esquecidas

O presidenciável do Psol e coordenador do MTST, Guilherme Boulos, afirmou hoje (31) que o golpe de 64, que completa 54 anos neste sábado, não deve ser esquecido. "Hoje fazem 54 anos do golpe militar de 1964 no Brasil. Foram duas décadas sombrias, que precisam ser lembradas para nunca mais voltarem"

Guilherme Boulos 
Guilherme Boulos  (Foto: Fatima 247)

Brasil 247 - O presidenciável do Psol e coordenador do MTST, Guilherme Boulos, afirmou hoje (31) que o golpe de 64, que completa 54 anos neste sábado, não deve ser esquecido, principalmente, diante dos atuais retrocessos democráticos no Brasil.

Em seu twitter Boulos postou: "Hoje fazem 54 anos do golpe militar de 1964 no Brasil. Foram duas décadas sombrias, que precisam ser lembradas para nunca mais voltarem. Ainda mais em tempos de retrocesso democrático como os atuais".

Quem também fez questão de "lembrar para não esquecer" foi a deputada federal Luiza Erundina (Psol). "54 anos do golpe de 1964. Lembrar para não esquecer". Erundina viveu o período do golpe na década de 1970, quando iniciava a sua atuação política, participando das Ligas Camponesas em oposição à ditadura.

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247