Para inviabilizar Lula, Maia quer PEC por prisão em 2ª instância

Presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), defendeu o início da tramitação na Casa de uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que trata do início do cumprimento de pena após a condenação pela segunda instância da Justiça; ele afirmou que a PEC tem de começar a ser discutida para ser votada quando se encerrar a intervenção federal na segurança pública do Rio de Janeiro; Maia, que também é pré-candidato ao Planalto, pediu que o STF tenha serenidade ao julgar o pedido de habeas corpus do ex-presidente Lula

rodrigo maia 
rodrigo maia  (Foto: Paulo Emílio)

Reuters - O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), defendeu em entrevista nesta quarta-feira à Rádio Tupi, do Rio de Janeiro, o início da tramitação na Casa de uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que trata do início do cumprimento de pena após a condenação pela segunda instância da Justiça.

Maia, que também é pré-candidato à Presidência da República na eleição de outubro, defendeu ainda que o Supremo Tribunal Federal (STF) tenha serenidade ao julgar nesta quarta o pedido de habeas corpus do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A defesa quer que Lula inicie o cumprimento da pena de 12 anos e 1 mês de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro se e quando forem esgotados todos os recursos possíveis em todas as instâncias do Judiciário.

O presidente da Câmara afirmou que a PEC tem de começar a ser discutida para ser votada quando se encerrar a intervenção federal na segurança pública do Rio de Janeiro. A Constituição determina que seu texto não pode ser alterado na vigência de uma intervenção federal.

Por Eduardo Simões, em São Paulo

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247