Para setores do STF e do Congresso, Moro continua suspeito mesmo depois da prisão de hackers

O ex-juiz Sergio Moro está se aproveitando das prisões de suspeitos de invadir seu telefone e os de outras autoridades, como o procurador Deltan Dallagnol, para "comprovar" sua tese de que a divulgação das suas conversas é fruto de ação de criminosos e isentar-se de culpa; mas tanto no Supremo Tribunal Federal (STF) como no Congresso Moro continua questionado e sob a suspeita de ter cometido ilegalidades no âmbito da Operação Lava Jato

(Foto: Foto: REUTERS/Adriano Machado)

247 - O ex-juiz Sergio Moro está se aproveitando das prisões de suspeitos de invadir seu telefone e os de outras autoridades, como o procurador Deltan Dallagnol, para "comprovar" sua tese de que a divulgação das suas conversas é fruto de ação de criminosos e isentar-se de culpa.  

Mas tanto no Supremo Tribunal Federal (STF) como no Congresso Moro continua questionado e sob a suspeita de ter cometido ilegalidades no âmbito da Operação Lava Jato.   

Informações divulgadas nesta quinta-feira (25) na coluna Painel da Folha de S.Paulo mostram que uma ala do STF e integrantes da cúpula do Congresso continuam suspeitando de Moro, pois "o cerne do problema permanece – e está no conteúdo das conversas".  

O que tende a ocorrer a partir de agora é a intensificação do embate entre defensores radicais da Lava Jato e os legalistas que se opõem às manipulações que Moro e procuradores cometeram na condução dos processos.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247