Paraná Pesquisas: 89% dos brasileiros consideraram injusto o reajuste do STF

Um levantamento feito pelo Instituto Paraná Pesquisas apontou que 89,4% dos brasileiros consideram injusto o aumento salaria dos ministros do STF; de acordo com a pesquisa, para 8,1% foi justa a decisão e 2,5% não souberam responder; para 89% dos entrevistados, o país não tem condições financeiras para arcar com o reajuste, que é de 16% (R$ 33 mil para R$ 39 mil)

Paraná Pesquisas: 89% dos brasileiros consideraram injusto o reajuste do STF
Paraná Pesquisas: 89% dos brasileiros consideraram injusto o reajuste do STF (Foto: Esq.: ABR)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Um levantamento feito pelo Instituto Paraná Pesquisas apontou que 89,4% dos brasileiros consideram injusto o aumento salaria dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). De acordo com a pesquisa, para 8,1% foi justa a decisão e 2,5% não souberam responder.

Para 89% dos entrevistados, o país não tem condições financeiras para arcar com o reajuste, que é de 16% (R$ 33 mil para R$ 39 mil);  7,8% veem condições para o reajuste e 3,1% não souberam/não responderam.

O instituto perguntou se os senadores deveriam ter esperado a posse do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) para colocar o assunto na pauta de votação. Ao todo, 91,1% dos pesquisados responderam que sim; 6,2% acreditam que o tema foi tratado no momento certo e 2,7% não souberam/não responderam.

Após o reajuste deve ocorrer um efeito cascata, com impacto nas contas da União, Estados e municípios de R$ 4 bilhões em 2019, segundo cálculos das consultorias de Orçamento da Câmara e do Senado.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email