Parlasul aprova declaração de apoio à Unila

A pedido da senadora Fátima Bezerra (PT-RN), a Comissão de Educação, Cultura, Ciência, Tecnologia e Esporte do Parlasul aprovou, por unanimidade, nesta segunda-feira 21, uma declaração de apoio à Universidade Federal da Integração Latino-Americana (Unila); a nota aprovada repudia qualquer tentativa de se extinguir ou desvirtuar a universidade

A pedido da senadora Fátima Bezerra (PT-RN), a Comissão de Educação, Cultura, Ciência, Tecnologia e Esporte do Parlasul aprovou, por unanimidade, nesta segunda-feira 21, uma declaração de apoio à Universidade Federal da Integração Latino-Americana (Unila); a nota aprovada repudia qualquer tentativa de se extinguir ou desvirtuar a universidade
A pedido da senadora Fátima Bezerra (PT-RN), a Comissão de Educação, Cultura, Ciência, Tecnologia e Esporte do Parlasul aprovou, por unanimidade, nesta segunda-feira 21, uma declaração de apoio à Universidade Federal da Integração Latino-Americana (Unila); a nota aprovada repudia qualquer tentativa de se extinguir ou desvirtuar a universidade (Foto: Gisele Federicce)

247 - A pedido da senadora Fátima Bezerra (PT-RN), a Comissão de Educação, Cultura, Ciência, Tecnologia e Esporte do Parlasul aprovou, por unanimidade, nesta segunda-feira 21, uma declaração de apoio à Universidade Federal da Integração Latino-Americana (Unila). O documento também foi apresentado no plenário do Parlasul.

A nota aprovada repudia qualquer tentativa de se extinguir ou desvirtuar a universidade. Além disso, o documento reconhece que a criação da Unila foi um grande passo dado pelo Estado brasileiro em defesa dos propósitos latino-americanistas inscritos em sua Constituição.

"A Universidade Federal da Integração Latino-Americana (UNILA) é um instrumento fundamental para o fortalecimento da integração cultural, científica e tecnológica da nossa região. A sua missão institucional deve servir de exemplo para a concepção de novas universidades de integração. Nosso apoio irrestrito aos estudantes, docentes, pesquisadores, cientistas e intelectuais que desencadearam a mobilização internacional em defesa da Unila e de sua missão institucional", afirma a nota assinada pelos parlamentares que compõem a comissão.

Além da questão financeira, que tem prejudicado o funcionamento das instituições e a democratização do ensino superior no Brasil, a Unila tem enfrentado tentativas de se acabar com seu projeto acadêmico.

Recentemente, uma emenda aditiva, de autoria do deputado federal Sérgio Souza (PMDB/PR), à Medida Provisória nº 785/2017, que reformula o Fies, tentou desmembrar parte importante da instituição, transformando-a em universidade específica.

O deputado acabou retirando a emenda, após pressão da comunidade acadêmica, parlamentares e sociedade em geral. No entanto, ações como essas, contra o projeto educacional da Unila, podem voltar a ser efetivadas. Daí a importância da Declaração do Parlasul, enfatizando a importância da universidade para a integração latino-americana e reafirmação das diferentes culturas.

Atualmente a Unila conta com 3.500 alunos do Brasil e dos outros 19 países da América Latina, em 22 cursos de bacharelado de áreas de interesse comum, sempre com foco para o intercâmbio cultural e o desenvolvimento e integração regionais.

Audiência Pública

A Comissão do Parlamento do Mercosul também agendou para novembro a realização de um seminário para debater o ensino público nos países membros do bloco. A proposta também foi de autoria da senadora Fátima Bezerra. A ideia é que o encontro ocorra na sede da Unila, em Foz do Iguaçu.

Durante o encontro, serão debatidos os seguintes temas: A realidade Educacional e Indicadores Sociais dos países membros do Parlasul; a legislação educacional no Mercosul; a valorização dos profissionais de Educação; e o futuro da educação no Mercosul.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247