Partidos ligados a Maia reagem a Bolsonaro e anunciam vetos a reforma da Previdência

Em resposta ao presidente Jair Bolsonaro, líderes do DEM, MDB, PSD, PP, PR e PRB na Câmara farão um ato nesta terça-feira (26) para declarar apoio à reforma da Previdência, mas com veto às mudanças na aposentadoria rural e no pagamento de BPC; o ato também é uma demonstração de força do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ)

Partidos ligados a Maia reagem a Bolsonaro e anunciam vetos a reforma da Previdência
Partidos ligados a Maia reagem a Bolsonaro e anunciam vetos a reforma da Previdência (Foto: LUIS MACEDO/Agência Câmara)

247 - A falta de articulação do governo Jair Bolsonaro começa a produzir efeitos práticos. Líderes do DEM, MDB, PSD, PP, PR e PRB na Câmara, ou seja, parte do centrão, farão um ato nesta terça-feira (26) para declarar apoio à reforma da Previdência, mas com veto às mudanças na aposentadoria rural e no pagamento de benefícios para idosos miseráveis, benefício conhecido como BPC.

O ato é uma resposta às declarações do governo contra o Congresso e, principalmente, em demonstração de apoio ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

A declaração de veto às alterações na aposentadoria rural e no BPC são cruciais para o governo e pode implodir a reforma, forçando o governo a aceitar a retirada desses trechos para que a proposta tramite.

O motivo dessa reação foram as declarações de Bolsonaro, que disse na semana passada que o andamento da reforma corria riscos porque "alguns não querem largar a velha política". Os parlamentares não gostaram do discurso.

No ato programado para esta terça, os parlamentares vão dizer que são contra alguns trechos porque suas siglas têm responsabilidade com o país. Eles consideram que as críticas de Bolsonaro ao Rodrigo Maia atingem a reputação dos demais congressistas.

Segundo reportagem da Folha, os deputados dirão que o texto do governo 'é cruel com os mais pobres e grupos mais vulneráveis'.

 

Ao vivo na TV 247 Youtube 247