Paulinho da Força denuncia barganha com Bolsonaro: “me ofereceram o porto de Santos e eu não vou aceitar”

As negociações de Bolsonaro com o centrão para derrubar Moro envolvem o Banco do Nordeste, Codevasf, FNDE, Dnocs e Funasa, entre outros

Paulinho da Força
Paulinho da Força (Foto: Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Revista Fórum - Integrantes da Polícia Federal e secretários de Segurança Pública disseram à Folha acreditar que os encontros do presidente Jair Bolsonaro (Sem Partido-RJ) com presidentes e líderes dos partidos do chamado centrão, nas últimas semanas, serviram para o presidente ter a segurança de que poderia se livrar de Moro sem risco de ficar com o mandato sob ameaça.

Um dos poucos a falar abertamente sobre o encontro foi o presidente do Solidariedade, o deputado Paulo Pereira da Silva (SP), conhecido como Paulinho da Força. “Me ofereceram o porto de Santos e eu não vou aceitar, não vou para o governo uma hora dessas. O ideal agora é fazer um entendimento entre Maia e Bolsonaro e garantir a governabilidade”, afirmou.

Leia mais na Fórum.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247